Segunda-feira, 30 de Novembro de 2009

 

Natal no Alentejo

Na tradição do Natal no Alentejo não há missa do galo, mas os presépios vivos, partindo
a iniciativa dos próprios fieis, onde se conta toda a história do nascimento.
Muitas dessas pessoas já saíram das aldeias Alentejanas para outras cidades, mas regressam sempre nesta época para os ensaios.
Antigamente, estes “presépios vivos” eram representados na rua na noite de Natal, das 21:00h ás 6:00h. Agora continuam às mesmas horas, mas em salões paróquias.
publicado por cursodeflorista às 12:10
link do post | comentar | favorito

 

Natal no Algarve

As celebrações do natal no Algarve iniciam-se a de 8 de Dezembro, dia de Nossa Senhora da Conceição, com o “deitar dos trigos”. São sementes de cereais colocadas em vasos para formar as searinhas, que vão enfeitar os presépios ficando estes até ao dia de reis, celebrando as charolas e janeiras. A tradição natalícia obriga á encenação do nascimento de Cristo. O presépio “ serrenho” é comum em localidades do interior algarvio. A construção do presépio é armado em escadaria e no cimo é colocada a imagem de Jesus, em pé, o trono é enfeitado com panos de linho bordados, searinhas e cestos de laranja e flores. O presépio é de origem franciscana. Nas cidades o menino é deitado num berça de palha, sendo utilizado musgo, pedrinhas e cortiça, figuras de barro e uma estrela no cimo da árvore de natal. A família reúne-se para a ceia da consoada, onde não falta o bacalhau acompanhado de couve portuguesa e batatas cozidas temperadas com azeite. Os pescadores costumem comer polvo.
Em Olhão come-se guisado de leitão; na serra, a galinha cerefada.
Os doces tradicionais são: as filhoses com o doce de chila, fatias douradas, doces de amêndoa, as laranjas e frutos secos, também são tradição a aguardente de medronho ou de figo.
 Entre o dia 25 de Dezembro e 6 de Janeiro cantam as janeiras. Outra tradição do natal algarvio é os grupos de charolas que cantam ao Deus Menino quadras ligadas ao nascimento de Cristo e aos Reis Magos.
publicado por cursodeflorista às 12:05
link do post | comentar | favorito

 

Natal nos Açores

Nos Açores, os preparativos para o natal começam no princípio do mês de Dezembro. A preparação da Ceia e do Presépio é uma das tradições mais importantes das terras açorianas.
O presépio é feito de barro, musgo fresco e seco. Na ilha das flores, as tradições são os mexidos, galinha assada recheada com debulho e torresmos. Nas sobremesas há arroz doce e o bolo de frutas. Em Santa Maria, servem a massa sovada e os biscoitos de orelha e de aguardente. Em S. Jorge servem-se os suspiros, rosquilhas de aguardente e figos passados e os licores caseiros de tangerina e anis. O dia 24 acaba sempre com a missa do galo.
Em S. Jorge, o dia da consoada é importante para as raparigas porque elas podem sair á noite até á hora da missa. Nos outros dias depois das Trindades às seis horas da tarde estas não podem sair, havendo um ditado que diz: “Trindades batidas, meninas recolhidas”.
publicado por cursodeflorista às 11:59
link do post | comentar | favorito

 

Natal na Madeira

 Na Madeira no dia 24 de Dezembro, são celebradas a "Missa do Parto" é uma das maiores manifestações religiosas da cultura madeirense. A ida para a igreja bebe-se café quente com "cheirinho" grogue ou um copito de aguardente com mel, para afastar o frio e o sono. Nalgumas freguesias, as bandas filarmónicas percorrem ruas com as castanholas, os bombos, as cabrinhas, ou os acordeões que acordam os mais dorminhocos. Nestes nove dias vão ecoar nas igrejas cânticos que podem muito bem ter 5 séculos de existência. "O Pai-nosso; Ave-maria; a Salve-rainha; a Conceição; a Maternidade e o retrato de Nossa Senhora " são cânticos obrigatórios.  Não se perdeu a tradição antes ou depois do trabalho, consoante a hora que forem celebradas, os fiéis reúnem-se com o pensamento envolto na meditação Litúrgica da Palavra.
publicado por cursodeflorista às 11:49
link do post | comentar | favorito

 

Natal na Grécia

 
O Pai Natal teve origem em Nicolau padroeiro dos Marinheiros. Para os Gregos, povo muito ligado ao mar, o Natal tem uma importância extrema, apenas superado pela Páscoa, celebração suprema para os cristãos ortodoxos. Na véspera de Natal as crianças Gregas percorrem as ruas cantando cânticos a Kalanda e recebem doces e frutos secos. Acabando os 40 dias de jejum, adultos e crianças ficam eufóricos com a matança do porco e com deliciosos pratos acompanhados de pão de Cristo. Nos ritos cristãos e pagãos, não existe árvore de natal, mas sim um recipiente de madeira cheio de água, suspenso aonde é pendurado um raminho de manjericão enrolado à volta da cruz de madeira. E, diariamente, um membro da família molha a cruz e com ela benze a casa, que os purifica e protege do Duende. Dizem eles que esse Duende habita debaixo da terra e que entra pelas chaminés, fazendo este maldades como azedar o leite, puxar a cauda aos cavalos, pendurar-se nas costas das pessoas, etc. A lareira nunca se apaga durante a quadra de natal, para assim afastar o Duende. No Natal Grego só no dia 1 de Janeiro é que se faz a troca das prendas, sendo nessa mesma altura feita a renovação das águas e oferendas aos Naiads que são os espíritos das nascentes e das águas. Na Grécia, a Árvore de Natal é substituída por barcos iluminados que é uma homenagem à tradição marítima do país.
publicado por cursodeflorista às 11:45
link do post | comentar | favorito

 

Natal no Egipto

No Egipto a principal igreja cristã é a ortodoxa.
É a igreja Copta. Os Egípcios celebram o Natal a 7 de Dezembro. São quatro as semanas do advento e são simbolizadas por quatro velas (púrpuras, rosa, branca e verde). Nos quarenta dias que antecedem ao dia do advento os fiéis da igreja Copta não comem lacticínios, carne, aves, em alguns sítios só guardam essa dieta na última semana.
Todos vão à igreja na noite de véspera de Natal vestindo roupas novas. O Natal termina á meia-noite quando os sinos tocam. De seguida, as pessoas fazem uma ceia especial onde é servido o pão, alho, fata, carne fervida e arroz.
Os Egípcios, na manhã de Natal, têm o costume de visitar os familiares pois é feriado é tradicional comer bolo e pão.
 
publicado por cursodeflorista às 11:37
link do post | comentar | favorito

 Natal na Eritreia

As festividades natalícias em Eritreia são celebradas orações e danças.
Uma das comemorações é chamada Timket (baptismo).
Na véspera, as pessoas conduzem estandartes em coloridas procissões. No dia do baptismo de Jesus cada igreja faz a sua procissão pelas ruas. As pessoas seguem o padre até ao rio onde o baptismo de Jesus é encenado.
 
publicado por cursodeflorista às 11:33
link do post | comentar | favorito

Natal na Austrália

Na Austrália, no natal são lembradas as raízes britânicas do país, incluindo o tradicional peru e sendo os presentes dados na manhã do dia 25.
No dia 25 de Dezembro as praias enchem-se de milhares de pessoas. É quase tradição as famílias fazerem um piquenique para celebrarem o dia de natal.
A decoração do natal é executada com flores frescas. Os costumes gastronómicos são semelhantes aos dos Estados Unidos e Inglaterra; comem peru assado, rosbife, molha de cramberries, batatas e vegetais.
A sobremesa preferida é o bolo de frutas chamado Christmas Pudding.
 
publicado por cursodeflorista às 11:29
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 23 de Novembro de 2009

 

O Natal Russo

O Natal na Rússia consiste numa grande festa, depois da Páscoa, porque celebra o mistério fundamental da fé, a encarnação do verbo de Deus.
Como na Páscoa existe uma preparação de 40 dias de jejum e oração – a Quaresma do Natal ou Quaresma de S. Felipe, começando a 14 de Novembro, festa do apóstolo Felipe.
São recordados no domingo entre 11 e 17 de Dezembro de uma maneira especial, os santos patriarcas que esperam a vida do Salvador. Já no domingo entre 18 e 24 de Dezembro são comemorados os antepassados de Jesus, mencionados nos Evangelhos.
Com a aproximação da festa a liturgia envolve as pessoas na expectativa do enternecedor mistério de Deus.
Na véspera do Natal, tendo o nome “Sotchélnik” intensifica-se o jejum, que tem como duração o dia inteiro até nascer a primeira estrela do céu.
Existe também três grandes cerimónias.
A primeira é um Ofício das horas Imperiais são assim chamadas porque eram celebradas com a presença do Imperador e da corte imperial do esplendor de que se reveste a cerimónia.
A segunda cerimónia é o Ofício de Vésperas Solenes com a Liturgia de S. Basílio.
 A terceira cerimónia é a grande vigília nocturna que consta das completas Festivas com a cerimónia da Litiá (bênção dos pães) e o tradicional cântico “Deus está connosco”. De seguida o Ofício das Matinas com o cântico do tropário e konákion.
 Na manhã do dia de Natal a Liturgia (a missa) é celebrada com uma solenidade só igualada á da Páscoa. No final realiza-se o Moleben ou Ofício com cântico “Deus está connosco”.
Seguido pela igreja russa, o natal é festejado a 7 de Janeiro porque o calendário Juliano, distanciava-se no século XX, 13 dias do calendário gregoriano, adoptando no ocidente.
No calendário Juliano cada século aumenta um dia, sendo assim, no século XXI no dia 8 deveria ocorrer o natal, mas continua a ser celebrado no dia 7.
Na ceia da Vigília do natal não se come carne, mas sim iguarias próprias da festa, não podendo faltar o pudim de trigo (ou arroz) com mel, chamada “Kutiá”, que simboliza a doçura do Reino de Deus.
 A árvore de natal não pode faltar em nenhuma casa, enfeitada com flores e velas, conforme um antigo costume que o Czar Pedro, o grande, tinha trazido da Holanda no século XVIII. Nos 12 dias que seguem, chamados como “ Sviátki” (dias dos Santos), as casas dos paroquianos são visitadas e benzidas pelos párocos, partilhando com eles a alegria do natal.
publicado por cursodeflorista às 12:21
link do post | comentar | favorito

 

Natal na Índia

Na Índia as pessoas decoram mangueiras e bananeiras durante o natal.
Os indianos usam as folhas dessas árvores para decorar as suas casas, lamparinas de óleo nas beiradas os telhados, folhas de plantas tropicais e velas para decorar as igrejas. O natal na Índia é muito rigoroso no que diz respeito aos rituais sagrados. No que concerne ás comidas, no natal, predominam vegetais, doces de leite e a tradicional mação caramelada.
Os presentes que eles trocam são: tortas de fruta secas, nozes, colares de flores e alguns efeitos realizados á mão para as crianças e jovens. Esta época do ano é encarada como um momento adequado para dar esmolas aos pobres.
Na Índia a data é mais comemorada nos hotéis e queima de fogos nas ruas.
publicado por cursodeflorista às 12:16
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29


arquivos
2009

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro